sábado, 31 de outubro de 2009

As Virtudes Teologais e a Escada de Jacó


Para falar de Fé, Esperança e Caridade, temos que começar falando sobre a Escada de Jacó, e conseqüentemente sobre o Painel da Loja de Aprendiz, que mostra a escada e também os símbolos que representam aquelas virtudes que são a base da maçonaria e de muitas religiões.

Jacó, mais tarde denominado Israel, é considerado um dos patriarcas do povo judeu, e das 12 tribos de Israel. Filho de Isaac e de Rebeca, neto de Abraão, os outros dois patriarcas, Jacó, após a morte do pai, foi aconselhado pela mãe no sentido de procurar refúgio em Haran, para fugir da perseguição de seu irmão Esaú, e também conseguir casamento.

Narra a Bíblia que Jacó partindo da Bersabéia dirigia-se para Haran. Havendo chegado a certo lugar quando o sol já tinha desaparecido, parou ali; tomou uma das pedras que se achavam no lugar, colocou-a como travesseiro, e dormiu naquele sítio. Teve um sonho: eis uma escada que se apoiava em terra e cujo cimo tocava o céu, e os anjos de Deus desciam e subiam por ela. Quando desperta, Jacob sente certo temor e descobre que se encontra em um lugar santo, que é a porta do céu. Jacó pega a mesma pedra que lhe serviu de travesseiro e eleva-a no altar. O altar, portanto, é a mesma pedra de onde partia a escada que sonhou Jacó, e assim o representa o nosso Painel da Loja.

Essa Escada mística simboliza para os Maçons a Evolução e a Involução da Vida, evidenciada no perpétuo ciclo dos nascimentos e das mortes e, conseqüente renovação hierárquica dos seres e dos mundos.

A Escada de Jacó está representada nas Lojas no Painel de Aprendiz, significando as virtudes pelas quais o Aprendiz deve iniciar seu aperfeiçoamento espiritual na Maçonaria. Seus degraus, correspondem às virtudes, em especial à Fé, à Esperança e a Caridade, que no Painel da Loja são representadas pela Cruz, pela Âncora e pelo Cálice, ou o Graal, uma mão dirigida a um Cálice.

O uso da Escada de Jacó na iconografia maçônica é posterior a todos os demais símbolos que aparecem no Painel. Seu uso data do final do século dezoito e início do Século dezenove, segundo Leon Zeldis, em seu livro “As Pedreiras de Salomão”.

Por outro lado, continua ele, a Escada como símbolo da Moral, representando o crescimento espiritual do homem na busca da sua perfeição e do elo entre o céu e a terra, é muito antigo.

A Escada de Jacó e representada às vezes como degraus entalhados na encosta de uma montanha. Ela está intimamente ligada à idéia da redenção ou aperfeiçoamento do ser. Isto explica sua conexão com o Primeiro Grau de Aprendiz.

A Escada de Jacó se apóia no Livro da Lei, e seu ápice alcança o céu, velado aos olhos profanos pelas nuvens da ignorância.

Portanto, ao vermos o Painel da Loja de Aprendiz, devemos lembrar imediatamente de duas coisas: da Escada de Jacó, símbolo do ciclo evolutivo da vida e da ascensão virtuosa que o Maçom deve almejar até a celestial plenitude, e que seus degraus representam as virtudes que o Maçom precisa adquirir para atingir a perfeição, sendo que as principais delas são a Fé, a Esperança e a Caridade, as Virtudes Teologais.

Mas o que são as Virtudes Teologais? São aquelas virtudes que nos levam a conhecer e a amar a Deus. Existem outras virtudes, que nos levam a agir corretamente em tudo o que fazemos: são as virtudes cardeais, assim chamadas porque elas nos orientam como os pontos cardeais o fazem na superfície da Terra. Essas virtudes cardeais, são a Prudência, a Justiça, a Força e a Temperança. Das sete virtudes mencionadas, teologais e cardeais, derivam todas as outras.

Como Maçons, somos homens de Fé, pois acreditamos no Grande Arquiteto do Universo, criador dos mundos, e também acreditamos em nós mesmos e em nossos Irmãos. Por isso a Fé é representada no Simbolismo pela Cruz, na parte inferior da Escada, porque a Fé é a base.

A Esperança, nos ensina a perseverar perante as adversidades e a nos mantermos firmes em nossos ideais, como a Âncora que a simboliza, e que está no meio da Escada Assim, todo aquele que for constante nas causas justas, superará todas as dificuldades, alcançando êxito completo.

A Caridade tem aí um significado especial, porque com a Cruz da Fé, e Âncora da Esperança, só atingimos a plenitude maçônica quando pautamos nossas ações na Caridade, que também significa o Amor, pois a Caridade nada mais é do que o amor ao nosso próximo, que auxiliamos anonimamente através do Tronco de Beneficência, em todas as Sessões Maçônicas na face da Terra. A Caridade é uma das mais brilhantes jóias com que, mui justamente, se adorna a Sublime Ordem Maçônica. A Maçonaria ensina que é verdadeiramente feliz o homem que sente brotar no coração a semente da benevolência. Não inveja o próximo, não dá conta das palavras vis e caluniadoras, porque a malícia e a vingança não acham abrigo em seu peito. Esquece as injúrias e procura apaga-las do pensamento. Assim, pois, tem sempre presente à sua imaginação que somos todos Irmãos, que deveremos estar sempre prontos a acudir àqueles que reclamam nossa assistência; e que jamais deveremos recusar nossa mão amiga, generosa e leal, ao necessitado que implore socorro. Desse modo os maçons agem dentro das linhas da misteriosa esquadria, recebendo um dia a recompensa a que tiver direito pelo Amor e Caridade.

Por isso a Caridade é representada pela Mão da generosidade dirigindo-se para o Cálice, que forma o Graal, um dos símbolos presentes no Painel do Aprendiz, no topo da Escada.

Peço aos meus Irmãos Aprendizes que examinem o Painel do Grau. Vejam, meus Irmãos, como é rica a Simbologia existente em nosso Templo e entre nossas colunas. É ela que nos ensina e forja as nossas mentes repetindo silenciosamente através desses símbolos as lições que nos levarão um dia à Perfeição.

Lembrem-se daqueles degraus que temos que galgar obrigatoriamente no caminho do nosso desenvolvimento pessoal e espiritual. Eles representam a Escada de Jacó que galgamos não só através dos aumentos de salários, mas através de nossas atitudes aqui e no mundo profano. Firmemos a nossa Fé, lutemos com Esperança na vitória enquanto praticamos o Amor e Caridade ao próximo que são os Atos pelos quais um dia seremos julgados pelo Criador.

Ir.´. "Jerônimo Coelho"
Laguna, 14 de Junho de 2007

Bibliografia:

Bíblia Sagrada
ABC do Aprendiz
As Pedreiras de Salomão, de Leon Zéldis
Vade-Mécum do Simbolismo Maçônico de Rizzardo de Camino

Nenhum comentário:

Postar um comentário